Buscar
  • Rede + Comunicação

COMISSÃO DE INTEGRIDADE | ÍNDICE DE PERCEPÇÃO DA CORRUPÇÃO 2018

Recentemente foi publicado pela Transparência Internacional - movimento global de combate à corrupção - o Índice de Percepção da Corrupção 2018.


A Transparência Internacional, mensura os níveis de percepção de corrupção no setor público em 180 países e territórios. Com base em 13 pesquisas de avaliação feitas com empresários e especialistas, as pontuações do índice estão dispostas em uma escala de zero (altamente corrupto) a 100 (altamente íntegro).


Os resultados traçam um quadro triste e familiar: mais de dois terços dos países pontuam abaixo de 50, enquanto a pontuação média global é de apenas 43. Talvez a constatação mais perturbadora seja a de que a grande maioria dos países avaliados têm feito pouco ou nenhum progresso. Apenas 20 fizeram progressos significativos nos últimos anos.


No caso do Brasil houve uma piora em sua colocação em relação ao ano passado como mostra o quadro abaixo:

Essa colocação pode se explicar pelo fato de que o Brasil está passando por àquela que vem sendo provavelmente a mais impressionante onda de investigações e denúncias envolvendo corrupção na história do país. Não sem controvérsias, a maior economia do hemisfério Sul passou por transformações jurídicas, administrativas e comportamentais que trouxeram novas abordagens ao combate à corrupção.


É necessária uma ampla agenda pró-integridade nos negócios para contribuir para que a tendência de melhorias recentes se acentue. No que diz respeito ao setor empresarial, ainda que a presente pesquisa verifique se as empresas publicam seus programas anticorrupção, possuem programas de compliance e divulgam demais informações relevantes sobre o tema, sua metodologia não se restringe a esmiuçar códigos de conduta. O estudo tenta também aferir se essas iniciativas são bem implementadas – incluindo análises, por exemplo, sobre o papel de estruturas como o Conselho de Administração na gestão da integridade corporativa e sobre o envolvimento do setor privado em ações coletivas. O que se procurou neste estudo: examinar os esforços de integridade das empresas – por exemplo, se implementam programas de compliance e se aderem a boas práticas anticorrupção em sua gestão.

O que se percebe com os números de percepção da corrupção global, abordada nesta pesquisa, é que ainda há um longo caminho a ser percorrido para combater esse grande problema mundial. Olhando para o Brasil, os números mostram uma piora em comparação com 2017. Para mudar esse cenário há um grande trabalho a ser desenvolvido, sobretudo, no ambiente empresarial brasileiro. É preciso desenvolver uma estrutura sólida de compliance com profissionais especializadas e concentrados em, não só trazer a cultura anticorrupção para dentro de suas empresas, como também, promover a manutenção dessa cultura através de programas, eventos e ações que reforcem cada vez mais as boas práticas e a integridade dentro das operações e dia a dia de trabalho. É com essa consciência que a Solví está cada vez mais comprometida e focada em fazer sua parte para mudar essa realidade dentro do cenário empresarial e colaborar para colocar o Brasil entre os países com os melhores índices de integridade.


Confira a percepção de corrupção no setor público no continente americano em 2018.

Para conhecer o ranking completo e ter acesso a mais informações visite: http://ipc2018.transparenciainternacional.org.br/

52 visualizações0 comentário