Buscar
  • Rede + Comunicação

Biotérmica | Inicia aproveitamento de biogás na UVS da CRVR em São Leopoldo

No mês de março começou a operar a planta de queima controlada do biogás na UVS da CRVR em São Leopoldo. O projeto de aproveitamento de biogás de aterro sanitário faz parte do processo de instalação da nova unidade da Biotérmica que deve ser inaugurada na UVS em julho de 2020.


Segundo o gerente de operações da Biotérmica, Tiago Silva, o projeto foi registrado no âmbito das mudanças climáticas da ONU em 2012. “Há dois anos foi assinado um contrato com o Governo da Noruega para que todo o gás potencial de efeito estufa queimado (no caso o metano) fosse comprado como crédito de carbono, a fim do país nórdico atingir suas metas internas de redução de gases do efeito estufa. O volume é equivalente a 100 mil toneladas por ano de CO2, equivalente a emissão de 7.000 km rodados por um carro médio no Brasil”, contou.


De acordo com ele o início da operação de queima do biogás trata-se da primeira fase de um grande plano de investimento de cerca de 40 milhões para geração de energia elétrica limpa no estado do Rio Grande do Sul. “A nova usina irá gerar emprego e impostos para a região, além de contribuir com a uma energia limpa e renovável para a matriz energética brasileira”, pontuou.


Além de atender o contrato com a ONU, a queima do biogás visa também mitigar possíveis odores gerados pelo aterro sanitário. Com investimento de 2 milhões de reais, a planta de queima conta com engenharia italiana e alto nível de tecnologia, segurança e automação. Pode ser operada a distância, inclusive por técnicos especializados da Itália. O metano é queimado a uma temperatura de 1.000 graus, garantindo uma alta eficiência de queima e destruição de 99% do metano captado pelo sistema.


36 visualizações